por paulo eneas
As duas prioridades nacionais de momento são o combate à criminalidade, com a consequente redução no número de homicídios, e a aprovação da reforma previdenciária. A primeira preserva e salva vidas humanas e já vem sendo empreendida pelo Governo Bolsonaro. A segunda permite recuperar a economia e gerar empregos, preservando assim a estabilidade social, e depende exclusivamente do Congresso Nacional.

As ações de combate à criminalidade levadas à cabo pelo Governo Bolsonaro resultaram na queda de 25% no número de homicídios no primeiro semestre desse ano, uma redução nunca antes observada em período recente.

A continuidade destas ações, coordenadas pelo Ministério da Justiça e da Segurança Pública chefiado pelo Ministro Sérgio Moro, permitirá no médio prazo eliminar um dos flagelas deixados como herança maldita pela era petista-comunista, que transformou o Brasil no país onde mais se matam inocentes em tempos de paz.

Por sua vez, a recuperação da economia depende fortemente da aprovação da PEC da Nova Previdência, que encontra-se no Senado Federal. Aprovada no primeiro semestre em dois turnos de votação na Câmara dos Deputados, a PEC da Nova Previdência já deveria ter sido aprovada logo após o recesso parlamentar ao final do mês de julho.

No entanto, manobras do presidente do Senado, David Alcolumbre, e ações da oposição socialista não-petista representada pelo grupo Muda Senado, postergaram a votação e dessa forma comprometeram os interesses do País, transformando uma pauta de interesse nacional em moeda de troca para o embate político.

Contribuiu também para esse atraso os erros de percepção política de parte da direita, que deixou-se pautar por agendas diversionistas puramente retóricas e sem eficácia alguma para tratar do problema da cúpula do judiciário brasileiro, como a proposta de CPI Lava Toga.

Mas uma vez detectado, o desvio de rota pode ser corrigido. A PEC da Nova Previdência está pautada para discussão essa semana na Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal, estando a votação em plenário prevista para a primeira quinzena de outubro.

O Crítica Nacional entende que a votação e a aprovação da Nova Previdência e a sua promulgação constituem-se na prioridade zero do País nesse momento, cabendo aos apoiadores do Governo Bolsonaro exercer toda forma de pressão democrática e legítima sobre o Senado para assegurar essa aprovação. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


<font color=#ffffff>Reforma da Previdência & Combate À Criminalidade: As Prioridades Nacionais</font>


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário