por angelica ca e paulo eneas
O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, participou nesta segunda-feira (30/09) de evento promovido pela Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (ACAERT) em Florianópolis. Durante a palestra, o ministro falou das conquistas obtidas na Operação Lava Jato e defendeu a aprovação do Pacote Anticrime que tramita no Congresso Nacional. O ministro comentou sobre o bem-sucedido projeto estratégico do Ministério da Justiça denominado Em Frente, Brasil, cujo objetivo é o de combater a criminalidade violenta e que conta com ações em cinco municípios das regiões do País.

O ministro relembrou também os contratempos e conquistas obtidas pela Operação Lava Jato, lembrando daquelas pessoas que detinham grande poder político ou econômico e responderam por seus crimes perante a justiça. Sérgio Moro relembrou que não foi fácil, que houve reveses e momentos de tensão em que pensavam que tinha acabado, que haviam chegado no limite. Porém não desistiram e seguiram adiante, confiando na ideia de fazer o trabalho, fazer a coisa certa.

Além disso, o ministro enfatizou o trabalho de políticas públicas específicas antidrogas que vêm sendo adotadas pelo Governo Federal, com destaque para as ações efetuadas no Paraná, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, no escopo da chamada Operação Vigia ou Operação Horus. Trata-se de uma ação permanente das forças policiais nas regiões lindeiras do Brasil, especificamente nas fronteiras secas do oeste, no combate ao crime organizado, entrada de armas, drogas e produtos contrabandeados.

De acordo com o portal do Ministério da Justiça, a Operação Horus conseguiu evitar prejuízos de mais de R$ 76 milhões aos cofres públicos, além de barrar a entrada de produtos contrabandeados e drogas em território brasileiro.

Sobre a enormidade de homicídios que ocorrem no País, cerca de 60 mil ao ano, o Ministro Sérgio Moro afirmou não ser ess um número normal e aceitável, e defendeu a aprovação de leis mais rigorosas:

Sessenta mil homicídios por ano não é um número normal e aceitável. A impunidade da grande corrupção não é moralmente aceitável, não podemos ter uma política de convivência pacífica com essas grandes organizações criminosas, e a mensagem mais forte é aquela mensagem que pode vir do governo e do parlamento, com a aprovação de leis rigorosas em relação a essa criminalidade.

Desde o início do Governo Bolsonaro, tem havido um aumento nunca antes registrado no volume de drogas apreendidas e uma redução igualmente inédita no número de homicídios. A projeção é de que o ano termine com uma redução de aproximadamente 25% no número de homicídios em relação à média anual de sessenta mil, mencionadas pelo ministro. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário