por paulo eneas
A primeira edição do CPAC Brasil realizada nos dias 11 e 12 de outubro em São Paulo (SP) foi um marco e um ponto de virada na organização dos conservadores brasileiros. Realizado pela primeira vez na América Latina, o tradicional evento conservador nascido nos Estados Unidos e que já teve edições na Europa e no Japão, reuniu em sua edição inaugural brasileira mais de mil participantes, para ouvir algumas das principais lideranças do movimento conservador nacional.

O Conservative Political Action Conference, CPAC, é o maior evento conservador do mundo e é organizado há 46 anos pela American Conservative Union, e teve em sua primeira edição em Washington (DC) a presença de ninguém menos que Ronald Reagan, então governador da California e futura presidente norte-americano. Também participaram de edições posteriores da conferência os presidentes norte-americanos George Bush e Donald trump.

A realização do CPAC Brasil foi resultado direto de uma iniciativa do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que encetou todos os entendimentos com o CPAC dos Estados Unidos para viabilizar a realização aqui no Brasil da primeira edição latino-americana desta conferência. A viabilização organizacional do evento ficou por conta da Fundação Indigo, do PSL Nacional.

O público de mais de mil pessoas presentes poderia ter sido muito maior, uma vez que as inscrições esgotaram-se no primeiro dia em que foram abertas, tamanho o volume de procura, o que obrigou os organizadores a mudar o local da conferência para um espaço maior faltando poucos dias poucos dias para sua realização.

O avanço do conservadorismo brasileiro traduzido no sucesso do CPAC Brasil
O movimento conservador brasileiro é recente e apresenta enorme carências de organização política. A despeito destas dificuldades, esse movimento tem sido forte o bastante para quebrar a hegemonia que a esquerda construiu na sociedade brasileira nas últimas décadas. E a maior evidência dessa quebra de hegemonia foi justamente a eleição de Jair Bolsonaro para a Presidência da República.

Outra evidência tem sido o crescimento e a relevância de veículos de imprensa de viés conservador, como o Crítica Nacional, entre outros. Apesar de estes veículos atingirem um público ainda relativamente menor em comparação ao público alcançado pela grande imprensa tradicional, a repercussão dos conteúdos publicados por estes veículos é de tal ordem que chega até mesmo a pautar a própria grande imprensa, extremamente incomodada com o crescimento desses veículos.

A esses dois dados, veio somar-se o sucesso absoluto do CPAC. A própria maneira pela qual a grande viu-se obrigada a retratar a conferência, não podendo ignorá-lo e ao mesmo tempo tentando construir uma narrativa sobre ela com a nítida intenção de tentar diminuir sua importância, constitui-se por si só num indicador claro do sucesso da conferência e do que ela representa para o fortalecimento do movimento conservador brasileiro.

O CPAC Brasil servirá com um gatilho e um estímulo para eventos da mesma natureza em outras regiões do País nos próximos meses, tornando realidade aquilo que até poucos anos atrás parecia inimaginável para a esquerda: a formação e a organização sólida de um movimento conservador nacional que resultará, entre outros, no crescimento e consolidação da direita política brasileira.

Nota:
O Crítica Nacional acompanhou e participou do CPAC desde a abertura até o encerramento. Entrevistamos lideranças conservadoras nacionais e estrangeiras, ministros que estiveram presentes, e outras figuras públicas que também participaram da conferência. Também participamos de um painel em conjunto com demais veículos independentes e conservadores. Todo esse conteúdo está disponível em nosso canal no youtube e em matérias adicionais em nosso website nesta segunda-feira. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews



CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário