por paulo eneas
Os deputados estaduais Delegado Cavalcante e André Fernandes, ambos do PSL-CE, ingressarão na próxima segunda-feira (21/10) com uma representação junto à Procuradoria Geral da República contra o deputado federal Heitor Freire (PSL-CE) com base na Lei de Segurança Nacional.

Os proponentes da representação entendem que Heitor Freire cometeu crime contra a Lei de Segurança Nacional ao vazar uma conversa privada que manteve com o Presidente da República, Jair Bolsonaro.

O Crítica Nacional teve acesso à íntegra da representação que será apresentada nesta segunda-feira junto à PGR, e o documento pode ser visto nesse link aqui.

Na representação, os deputados estaduais Delegado Cavalcante e André Fernandes alegam que Heitor Freire, deputado federal do PSL integrante da ala hostil ao Presidente Bolsonaro que articulou-se em torno de Luciano Bivar para manter o Delegado Waldir na liderança do partido na Câmara dos Deputados, incorreu em crime previsto na Lei de Segurança Nacional ao vazar conversa privada mantida com o Presidente da República.

Nas alegações apresentadas na representação, os deputados estaduais lembram que Heitor Freire admitiu publicamente ter conversado com o Presidente da República e ter gravado a conversa sem a autorização e consentimento do presidente o que, ainda segundo os denunciantes, configura crime de espionagem contra o Chefe de Estado.

A representação elaborada pelos deputados estaduais Delegado Cavalgante e André Fernandes será protocolada junto à Procuradoria Geral da República nesta segunda-feira. A íntegra da representação, trazendo todas as alegações, pode ser lida neste link aqui. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário