por paulo eneas
O Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, fez pronunciamento em cadeia de rádio e televisão na noite desta quarta-feira (23/10) a respeito das manchas de óleo presentes no litoral do Nordeste brasileiro. O ministro informou também que o Presidente Bolsonaro determinou que seja feita uma solicitação formal junto à Organização dos Estados Americanos (OEA) para que a Venezuela se pronuncie oficialmente a respeito do episódio.

No seu pronunciamento, o ministro reafirmou que a análise das amostras realizada pela Petrobras confirma que o óleo presente no litoral brasileiro é de origem venezuelana, conforme já havíamos anunciado aqui no Crítica Nacional há alguns dias. A solicitação formal feita pelo Brasil junto à OEA para que a Venezuela se pronuncie a respeito é um indicador da convicção já formada pelo governo brasileiro a respeito da origem estrangeira do óleo.

Desde quando o teve início o aparecimento das manchas de óleo, o Presidente Bolsonaro cogitou da possibilidade de tratar-se de ação criminosa deliberada contra o Brasil, um típico ato de ecoterrorismo praticada com a intenção de fornecer elementos de narrativas falaciosas a respeito do Governo Bolsonaro e da questão ambiental.

Essa “conveniência para narrativas” ficou evidenciada ontem (23/10) pela ação criminosa levada a cabo pelo grupo ecoterrorista internacional GreenPeace, que realizou em Brasília um ato de flagrante desrespeito à legislação ambiental brasileira, conforme mostramos no artigo O Ecoterrorismo Do GreenPeace: O Ambientalismo A Serviço Dos Globalistas, publicado também ontem. Colaboração Angelica Ca #CriticaNacional #TrueNews #RealNews



CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário