por paulo eneas
Ao desembarcar nesta segunda-feira (28/10) em Qatar em mais uma etapa de sua visita a países do Oriente Médio, o Presidente Bolsonaro reafirmou seu compromisso e intenção de transferir a Embaixada do Brasil em Israel para a capital daquele país, Jerusalém.

A intenção é um compromisso de campanha do então pré-candidato Jair Bolsonaro que, ainda em 2017, saudou a decisão do presidente norte-americano recém-empossado, Donald Trump, de instalar a embaixada dos Estados Unidos na capital israelense.

Até o ano de 1980 alguns países mantinham suas representações diplomáticas em Jerusalém. A mudança destas embaixadas para Tel Aviv começou a ocorrer naquele ano por pressão do Conselho de Segurança da ONU, após Israel ter aprovado lei estabelecendo Jerusalém como sua capital, eterna e indivisível.

A embaixada americana em Jerusalém foi inaugurada em maio de 2018. Dois dias depois, a Guatemala abriu sua representação diplomática na Cidade Santa. A Hungria mantém um escritório com status diplomático em Jerusalém, assim como a República Tcheca. Mas ambos os países sofrem pressão da União Europeia para que não transfiram suas embaixadas para a capital israelense.

O Presidente Bolsonaro afirmou no Qatar que “mais cedo ou mais tarde” irá proceder com a transferência da Embaixada do Brasil em Israel para Jerusalém. O presidente ainda mencionou o peso da opinião pública do setor evangélico, que responde por cerca de quarenta por cento da população brasileira, e que é amplamente favorável à mudança. Com informações do Gazeta do Povo. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário