por paulo eneas
Élcio Queiroz, apontado pelas investigações como comparsa de Ronnie Lessa no caso do assassinato da ex-vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, afirmou nesta terça-feira (05/11) durante depoimento ao Ministério Público do Rio de Janeiro, que ele trabalhou para o petista Lindenberg Farias, quando o futuro senador petista exercia o cargo de prefeito de Nova Iguaçu (RJ).

Segundo as investigações, o policial reformado Ronnie Lessa foi quem disparou contra Marielle Franco para matá-la. Ainda segundo as investigações, Élcio Vieira de Queiroz foi o motorista do carro usado para perseguir e matar Marielle e seu assessor Anderson Gomes.

No depoimento dado hoje ao Ministério Público, cuja gravação foi divulgada em vídeo por Carlos Bolsonaro em seu canal no Youtube, Élcio Queiroz afirma ter trabalhado como assessor do PT em Nova Iguaçu durante a gestão do prefeito Lindenberg Farias, que mais tarde seria eleito senador pelo PT. No depoimento, o suspeito do assassinato de Marielle Franco elogia o petista e afirma não ter nada contra a esquerda.

Caso as investigações e a posterior decisão da justiça confirmem a participação de Élcio no assassinato da vereadora, toda a narrativa mentirosa e desonesta que a esquerda criou, com o apoio da grande imprensa, em relação a esse crime, irá cair por terra.

Desde o assassinato de Marielle Franco, a grande imprensa e a esquerda tentam associar o crime aos conservadores e à direita, tendo havido até mesmo uma tentativa criminosa por parte da Rede Globo de incriminar o Presidente Bolsonaro.

Se confirmadas as suspeitas levantadas pelas investigações, a esquerda assassina e criminosa terá dado uma amostra da máxima atribuída a Lenin: acuse-os do que você faz, chame-os do que você é. Colaboração Angelica Ca #CriticaNacional #TrueNews #RealNews

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário