por paulo eneas
Os brasileiros realizaram nesse domingo (17/11) um feito inédito na história nacional: saíram às ruas em manifestações pacíficas pelo impeachment de um ministro do STF, Gilmar Mendes. O ineditismo desse tipo de manifestação revela maturidade política da sociedade brasileira, que compreendeu a mensagem enviada por lideranças de movimentos conservadores e de direita raiz. E esta mensagem ficou clara ontem:

“Não somos contra a instituição do Supremo Tribunal Federal. Pelo contrário, nosso interesse é preservar a instituição. E para isso é necessário afastar dela as pessoas cuja conduta esteja fora da legalidade e representa uma deturpação do papel da suprema corte.”

As manifestações ocorreram, sem incidentes de qualquer natureza, em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e em outras cidades. Exceto por uns poucos veículos e alguns poucos jornalistas, a grande imprensa boicotou os atos, não noticiando-os, como se eles não tivessem existido.

O boicote da imprensa tem um sentido claro: em primeiro lugar, porque o movimento pelo impeachment de Gilmar Mendes está sendo puxado pelos segmentos conservadores e de direita raiz. Em segundo lugar, por não haver meios de a grande imprensa tentar instrumentalizar essa pauta, o impeachment de Gilmar Mendes, contra o governo do Presidente Bolsonaro.

Pauta única com foco e roteiro definido
O movimento pelo impeachment de Gilmar Mendes, que na prática foi iniciado ontem, tem uma pauta única, um roteiro claro, um objetivo direto a ser alcançado e um alvo bem definido de ações de pressão democrática. O objetivo a ser alcançado é afastar Gilmar Mendes do STF, nos termos da Lei do Impeachment.

O alvo das ações dos manifestantes não é a instituição do STF. O alvo das ações de pressão democrática e legítima é a mesa do Senado Federal, na figura do senador David Alcolumbre, para que ele coloque o pedido de impeachment de Gilmar Mendes, pedido esse elaborado pelo Dr. Modesto Carvalhosa, na pauta de votação do Senado.

Portanto, o mapa do caminho deste movimento político inédito, protagonizado pela sociedade brasileira, está muito bem traçado. E os próximos passos indicados por esse mapa, serão o aumento da pressão sobre David Alcolumbre, para que ele coloque o pedido de impeachment de Gilmar Mendes em votação no plenário do Senado Federal.

Longe de constituir-se em uma ofensa ou agressão ao Supremo Tribunal Federal, o movimento pelo impeachment de Gilmar Mendes representa um sinal de maturidade política da sociedade brasileira, que quer ver afastadas das instituições nacionais aquelas figuras cujas condutas se pautam pela ilegalidade, pelo desprezo aos valores abraçados pelo povo e pelo desrespeito à própria Constituição Federal.

E este é o caso do ministro Gilmar Mendes que, por conta de sua conduta, precisa ser afastado do STF nos termos da lei, para o bem da instituição. E foi para atingir este objetivo que o povo foi à ruas nesse domingo, e voltará mais vezes, em manifestações ainda maiores. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews

Observação:
O editor do Crítica Nacional participou nesta segunda-feira do Boletim da Manhã do Canal Terça Livre, onde foi feita uma análise das manifestações pelo impeachment de Gilmar Mendes realizadas nesse domingo. O boletim pode ser visto no vídeo abaixo, seguido de dois vídeos de alguns momentos da manifestação de ontem na Avenida Paulista.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário