por angelica ca e paulo eneas
Sob o argumento falacioso de “proteger os interesses e direitos dos cidadãos no ciberespaço”, entrou em vigor neste domingo (01/12) na China, uma lei que obriga as empresas de telecomunicações a registrar os parâmetros faciais de qualquer novo usuário de celular. A medida irá aumentar ainda mais o controle sobre o cidadão e o uso na internet.

Com a nova lei, todos os usuários de celulares na China que registram novos cartões SIM, devem ser submetidos a testes de reconhecimento facial. No ano passado muitas empresas de telecomunicações começaram a fazer reconhecimento facial do seus clientes. Além disso, diversas plataformas das mídias sociais também passaram a exigir que os usuários se inscrevam com suas identidades com nome real, por meio de seus números de telefone.

As medidas com as novas regras foram publicadas pela primeira vez em  setembro deste ano, pelo Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação da China. As empresas de telecomunicações passam a ser obrigadas a implantar inteligência artificial e outros métodos técnicos para verificar a identidade das pessoas que registram cartões SIM, sob o pretexto de salvaguardar os direitos dos cidadãos online.

A lei também obriga todas as lojas físicas do país a implementar os novos padrões até 1º de dezembro deste ano. Os clientes de telefonia móvel já eram obrigados a mostrar uma forma de identificação ao se inscrever em novos contratos por telefone. Porém, as regras de reconhecimento facial serão usadas para verificar se a pessoa cadastrada corresponde realmente à identificação fornecida.

O regime de ditadura comunista chinesa possui os mais complexos sistemas de monitoramento e vigilância sobre seus cidadãos. No ano de 2017 havia no país 170 milhões de câmeras.

Até o final do ano que vem, o objetivo é instalar cerca de 400 milhões de novas câmeras. O país também utiliza um sistema de “crédito social”, que monitora a conduta e as interações públicas de todos os seus cidadãos em um banco de dados. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário