por camila abdo
O presidente Jair Messias Bolsonaro esteve na cidade de Três Corações, no Sul de Minas, na última sexta-feira (29) para participar da formatura de sargentos. Em meio a festividade, um homem foi identificado por partícipes pelas declarações dadas em seu Instagram, dias antes da cerimônia, alegando que mataria o presidente.

A polícia militar foi acionada e o homem foi conduzido à delegacia, onde foi elaborado um Boletim de Ocorrência e preso. De acordo com o boletim de ocorrência, elaborado às 15h43, o homem se chama Pedro Venicio Souza Rodrigues Ferreira, 25 anos e é tatuador.

Relata ainda que em seus vídeos postados na rede social e deletados horas antes do evento que ocorreu nas dependências do Exército, Pedro “estaria analisando toda a situação, toda a área, para poder bolar o seu plano de que, na hora em que o presidente chegasse ao referido batalhão, iria acertar ele”.

Além disso, em fotos publicadas na referida rede social, o autor escreve: “inicia-se aqui a sequência de histórias onde estou infiltrado na toca do lobo, melhor dizendo, Exército Brasileiro”.

Entre os vídeos publicados, muitos eram em menosprezo ao Exército Brasileiro, e todos foram produzidos dentro do quartel no qual Pedro prestava serviços de limpeza eventualmente. O autor também aparece, em um vídeo, lixando uma escova de dente, enquanto mantinha na tela a inscrição: “Preparando minha faca para o Bolsonaro e aqui era a regra da rua”.

O B.O. relata que, em razão da ameaça proferida, e da eminência de comprometimento da segurança, já que o individuo estava no batalhão e com acesso às dependências, foram enviados esforços na tentativa de localizá-lo, sendo possível a localização em sua residência após diligências.

Na delegacia, Pedro esclarece que trabalha eventualmente para a empresa terceirizada de limpeza que presta serviço na unidade militar, e que realmente realizou as filmagens e fotografias. Em depoimento alega que o fez por ironia, inconformismo político, já que seu posicionamento é de esquerda. As mídias, mesmo deletadas da rede social, estão em poder dos polícias.

Camila Abdo é apresentadora, juntamente com Tais Morais, do canal DIRETO AOS FATOS no youtube, e editora do website Política E Direito, onde esse artigo foi originalmente publicado.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Deixe um comentário