por paulo eneas
O instituto DataFolha publicou uma pesquisa no último domingo (08/12) sobre a avaliação do governo federal, cujos resultados foram divulgados pelo jornal Folha de São Paulo, do mesmo grupo econômico. Um dos cenários avalia a suposta aprovação ou reprovação do governo. Contudo, os dados desse cenário são falsos.

Conforme mostramos em matéria publicada hoje (09/12) mais cedo, intitulada Datafolha Divulga Pesquisa Com Erro Elementar De Matemática, fazendo a soma dos dados apresentados, verifica-se que o item “Avaliação do Governo Bolsonaro” totaliza 99%, e não 100%. Os números dessa avaliação são: 36% + 32% + 30% + 1%, cuja soma resulta em 99%. Todos os demais gráficos apresentados na mesma pesquisa totalizam 100%. Não foi encontrado nenhum dado para:

1) Explicar motivo para esse gráfico totalizar 99% em discrepância com os demais gráficos que totalizam 100% na mesma pesquisa;

2) Justificar a ausência de 1% no item avaliado.

Conforme os gráficos anexos, os números reverberados pela grande mídia repetem o resultado divulgado no jornal Folha de São Paulo na edição impressa de domingo (08/12), em destaque na primeira página, e nas páginas A4 e A8. Na checagem da matéria impressa, não foi encontrada a motivação para os dados equivocados e inverídicos.Os dados falsos sugerem uma interpretação equivocada do cenário apresentado. A se considerar que existe um erro de 1% no universo, esse número deve ser acrescido a todas as margens de erro de todos os números da pesquisa no cenário “Avaliação do Governo”. Isso faz com que os itens enfocados (aprova/desaprova/regular) passem a ser considerados como empatados.

Até o momento dessa verificação (8h da manhã de 09/12), não foi localizada nenhuma justificativa no site do Datafolha para a lacuna de 1% na pesquisa divulgada em 08/12/2019. É falsa, portanto, a afirmativa de que a desaprovação do governo supera a sua aprovação.

A pesquisa apresenta outro dado incorreto. Em um gráfico comparativo apresentado na página A4 do jornal, é feito um comparativo de presidentes. O comparativo coteja dados de Bolsonaro, Lula, Dilma, Fernando Henrique Cardoso e Fernando Collor, com 12 meses do primeiro mandato.

Os dados, porém, indicam o ano de 1991 para Collor. A informação é incorreta, pois 9 meses e 15 dias do primeiro mandato de Collor foram em 1990 (de 15/03/1990 a 15/03/1991). Assim, os primeiros 12 meses de Collor transcorreram, em sua maioria, em 1990, (9 meses e 15 dias) e não em 1991 (2 meses e 15 dias).

O comparativo, portanto, é distorcido e incorreto, tornando-o imprestável, pois conforme consta do gráfico, considera somente dados de 1991 de Fernando Collor.

É falso comparar dados de períodos diferentes (Collor X Bolsonaro), sob o título “Doze primeiros meses do primeiro mandato”, sem explicar que os dados de Collor são parte de 1990 (pouco mais de 2/3) e parte de 1991 (pouco menos de 1/3).

O Fórum Brasil Check é uma articulação de veículos da mídia independentes, sites e comunidades de redes sociais, que tem por objetivo fazer a checagem, direta e objetiva, dos dados apresentados pela grande mídia. Cada veículo, grupo ou comunidade decide sobre a publicação dos dados de uma checagem. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews


Endereços dos dados utilizados nessa matéria:

1. https://www.poder360.com.br/pesquisas/reprovacao-a-bolsonaro-oscila-a-36-aprovacao-e-de-30-diz-datafolha

2. https://g1.globo.com/politica/noticia/2019/12/08/36percent-reprovam-e-30percent-aprovam-o-governo-bolsonaro-diz-datafolha.ghtml

3. https://www1.folha.uol.com.br/poder/2019/12/reacao-da-economia-freia-perda-de-popularidade-de-bolsonaro-diz-datafolha.shtml

4. Jornal Folha de São Paulo de 08/12/2019, páginas A4 e A8.

Participam do Fórum Brasil Check:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE