O presidente da Argentina e poste de Cristina Kirschner, Alberto Fernández, ignorou o pedido feito pela Bolívia e não extraditará o ex-ditador boliviano Evo Morales, nem seus filhos, que hoje vivem com ele em endereço desconhecido em Buenos Aires. O Ministério das Relações Exteriores da Argentina declarou que não haverá resposta formal à solicitação do promotor boliviano e que Evo Morales tem “imunidade e proteção diplomática”.

As relações bilaterais entre os dois países se agravaram mais diante desta decisão do governo argentino de proteger Evo Morales e ignorar o governo interino de Jeanine Áñez. Nesta quarta-feira (18/12), o Ministério Público boliviano emitiu uma ordem, obrigando o cocaleiro Evo Morales a testemunhar perante o promotor, após denúncia de seu envolvimento em crimes de sedição e terrorismo, conforme matéria publicada pelo Crítica Nacional. Colaboração Angelica Ca #CriticaNacional #TrueNews #RealNews

Emitida Ordem de Prisão de Evo Morales