por angelica ca e paulo eneas
A aeronave ucraniana que caiu logo após decolar do aeroporto internacional de Teerã na manhã desta quarta-feira (08/01) pode ter sido abatida pelas próprias forças militares do regime de ditadura teocrática muçulmana do Irã.

Um vídeo divulgado pelo correspondente da BBC na região, Ali Hashem, mostra o que supostamente seria a aeronave ucraniana em chamas logo após decolar, para em seguida cair no solo e explodir. No entanto, não há até o momento confirmação quanto à autenticidade do vídeo.

O  Boeing 737 de propriedade de uma companhia aérea ucraniana caiu pouco depois de decolar do aeroporto de Teerã, capital do Irã, na manhã desta quarta-feira (08/01) horário local, matando todos os 176 passageiros e tripulantes a bordo. De acordo com noticiário da imprensa internacional, a aeronave caiu um pouco depois dos ataques iranianos com mísseis contra alvos norte-americanos no Iraque.

De acordo com o Ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Vadym Prystaiko, entre as vítimas estavam 82 iranianos, 63 canadenses, 11 ucranianos, incluindo 9 tripulantes, 10 suecos, 4 afegãos, 3 alemães e 3 britânicos.

Segundo o website Breitbart, a embaixada ucraniana no Irã teria inicialmente atribuído o acidente a uma falha mecânica da aeronave, negando qualquer envolvimento terrorista. No entanto, a embaixada retirou a declaração logo em seguida, e passou a afirmar que todas as possibilidades estão sendo analisadas.

A companha aérea Ukrainian International Airlines que operava a aeronave respondeu ao questionamento de possível falha no motor. A companhia declarou que não havia nada de errado com o avião, que teria sido reparado dois dias antes do acidente e tinha menos de quatro anos de uso.

Segundo vídeo que corresponde supostamente ao avião ucraniano pegando fogo, o correspondente da BBC na região, Ali Hashem, publicou  em seu twitter um vídeo no qual mostra que a aeronave poderia ter sido abatida por engano pelo próprio Irã. Porém essa informações ainda não podem ser confirmadas com exatidão. #CriticaNacional #TrueNews #RealNews

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE