por angelica ca e paulo eneas
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, participou nesta sexta-feira (24/01) da 47ª Marcha Anual Pela Vida, em Washington, que contou com a participação de milhares de manifestantes pró-vida e contrários ao aborto. O mandatário norte-americano tornou-se o primeiro presidente dos Estados Unidos a participar e discursar na marcha. A uma multidão que o aplaudia, Donald Trump afirmou:

“É uma profunda honra ser o primeiro presidente da história a participar da Marcha pela Vida. Estamos aqui por uma razão muito simples: defender o direito de toda criança, nascida e não nascida, de realizar seu potencial dado por Deus”.

Em um discurso de treze minutos, o presidente norte-americano lembrou aos participantes que os jovens são o coração da Marcha pela Vida, e que é esta geração que está fazendo da América uma nação pró-família e pró-vida. Donald Trump também enfatizou a importância do movimento pró-vida ser liderado por mulheres e por lideranças religiosas, além de estudantes.

O presidente norte-americano lembrou que desde o primeiro dia do seu governo, tomou a decisão histórica de apoiar as famílias americanas e os nascituros, e que notificou o Congresso norte-americano de que iria vetar qualquer legislação que enfraquecesse as políticas pró-vida ou que incentivasse a destruição da vida humana.

Bastante aplaudido, Donald Trump também lembrou que deixou claro nas Nações Unidas que os burocratas globais não têm como atacar a soberania das nações que protegem a vida inocente.

Os organizadores da Marcha Pela Vida já haviam elogiado Donald Trump na sexta-feira como o presidente mais pró-vida da história, conforme apontamos em nota aqui no Crítica Nacional, e lembraram que  enquanto a Marcha das Mulheres tornou-se politicamente um movimento anti-Trump, a Marcha Pela Vida é cada vez mais em favor do presidente norte-americano.

Embora o discurso pró-vida do presidente Donald Trump tenha sido um sucesso e de grande importância, a maior parte da grande imprensa internacional ignorou o maior evento anual de direitos humanos do mundo, e que contou com a participação histórica de um presidente norte-americano.

De acordo com o site da Fox News, nem a CNN nem a MSNBC transmitiram o discurso de Donald Trump na Marcha Pela Vida. Ao contrário, os dois canais de notícias dedicaram seu tempo analisando o processo de impeachment  contra o presidente norte-americano, dando voz a diversos supostos analistas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE