O mercado financeiro internacional abriu em crise nesta segunda-feira, com as principais bolsas de valores do mundo inteiro operando em quedas acentuadas. Frankfurt caiu 7%. A Bolsa de Londres registrava queda de 6.5% ao final da manhã, enquanto a de Paris caía também 7%. Na Itália, a Bolsa de Milão registrou queda de 10%.

No Brasil, a Bovespa abriu em forte queda o que levou à suspensão das operações (circuit breaker) quando a depreciação dos ativos chegou a 10%. O mesmo aconteceu com a Bolsa de Nova York, que também acionou o circuit breaker quando a queda atingiu 10%.

O comportamento do mercado vem sendo atribuído ao surto mundial de coronavírus. Mas esta explicação não é satisfatória: o coronavírus tem servido de gatilho para esse cenário de pessimismo, cuja causas reais são de outra natureza, conforme que iremos abordar aqui no Crítica Nacional ainda hoje mais tarde.