por angelica ca e paulo eneas
O diretor Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília (UnB), Marcos Tadheu Magalhães, denunciou que desde quando mandou demolir em fevereiro deste ano uma praça conhecida como Pracinha da FAU, localizada nas instalações da faculdade, vem sofrendo ameaças de morte.

Mensagens com ameaças ao diretor foram publicadas nas redes sociais, incluindo ameaças contra sua vida, além dos xingamentos habituais feitos pela escória esquerdista, que acusa o diretor daquilo que todo esquerdista o é sem nem sempre saber: fascista e autoritário. A Polícia Federal será acionada para investigar o caso.

A praça foi demolida em razão da queixa de professores da unidade em relação à segurança em sala de aula em decorrência da deterioração da praça, construída há mais de vinte anos. O local havia se tornado um reduto de usuários de drogas, abrigo de moradores de rua, e também um ponto de tráfico de drogas.

Os professores da faculdade relatam que têm presenciado a entrada de usuários de drogas no meio de suas aulas no período noturno. Existem também denúncias de vandalismo e depredação, roubo de equipamentos e instrumentos da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, com prejuízos estimados até o momento em cerca de quinze mil reais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE