por angelica ca
O ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou durante coletiva à imprensa nesta segunda-feira (16/03) que o governo irá injetar até R$147.3 bilhões na economia brasileira nos próximos três meses com objetivo de amenizar os efeitos do coronavírus sobre a economia do país e o sistema de saúde.

De acordo com a pasta, as medidas têm como foco alcançar as populações mais vulneráveis, em especial os idosos, e assegurar a manutenção dos empregos.

Paulo Guedes afirmou que parte dessa verba será de injeção efetiva de recursos na economia, sendo que até R$83.4 bilhões serão aplicados para a população mais vulnerável. Outro total de R$59.4 bilhões serão destinados à manutenção dos empregos, e R$4.5 bilhões para o combate direto à pandemia do coronavírus.

“Vamos cuidar dos mais idosos. Já anunciamos os R$ 23 bi para entrar em abril e mais R$ 23 bi para maio (sobre antecipação para aposentados e pensionistas do INSS) e antecipar abonos para junho (R$ 12 bi)”, afirmou Paulo Guedes.

Também fazem parte das medidas anunciadas a antecipação da segunda parcela do 13º salário de aposentados e pensionistas do INSS para maio, o que implicará na inserção de cerca de R$ 23 bilhões na economia.

O ministro ainda afirmou que haverá um reforço de R$ 3 bilhões para o Bolsa Família, e também serão zeradas temporariamente as tarifas de importação e o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) de uma lista de 67 produtos do setor de saúde, além da desoneração de produtos médicos e hospitalares com vistas a conter o aumento abusivo de preços desses itens devido ao grande consumo.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE