O Brasil vive um estado de absoluta anomia institucional por conta da ação ilegal e inconstitucional de governadores proto-ditadores, que estão agredindo as liberdades e direitos fundamentais previstos na Constituição Federal usando como pretexto a pandemia do vírus chinês.  Esse estado de anomia institucional não pode mais persistir, ou teremos uma combinação de epidemia com depressão econômica e ruína do ordenamento institucional.

João Doria e Wilson Witzel deram início a esta jornada de ilegalidades e têm sido seguidos por prefeitos e governadores de outros Estados. O governador Helder Barbalho do Pará segue o caminho da tirania ilegal aberto por Doria/Witzel: o governador emitiu um decreto inconstitucional proibindo a realização de uma carreata organizada para esse domingo (29/03).

A carreata foi realizada e oito pessoas foram detidas pela Polícia Militar do Estado e foram encaminhadas para a delegacia. O “crime” que estas pessoas cometeram foi exercer um direito fundamental previsto em cláusula pétrea da Constituição Federal, que foi olimpicamente ignorada pelo decreto estapafúrdio do proto-ditador Helder Barbalho.