Não faz mais sentido, em função dos resultados já obtidos com o uso da hidroxicloroquina para tratamento de pessoas acometidas pela COVID-19, realizar ensaios clínicos, ou clinical trials, com braço de controle randomizado. Tal ensaio clínico não seria aprovado por comitês de ética de pesquisa com seres humanos.

A afirmação foi feita pelo Dr. Paulo Zanotto, virologista e pesquisador, durante entrevista Helio Beltrão nesse sábado (04/04). O braço de controle randomizado é o grupo de pacientes que não recebem o medicamento em estudo, mas tomam apenas placebo.

A informação trazida pelo Dr. Paulo Zanotto demonstra um fato inequívoco: a convicção já existente entre médicos e cientistas a respeito da eficácia da hidroxicloroquina para o tratamento da doença causada pelo vírus chinês.

Se o ministro da Saúde, Luiz Mandetta, ainda insiste em negar esta evidência, isso deve-se a outros motivos, que não aqueles que refletem o real interesse da saúde pública.