O Ocidente defronta-se com a situação onde precisa lidar com o desafio de debelar uma pandemia que já custou a vida de milhares de pessoas e que está arruinando as economias de seus principais países, especialmente Brasil e Estados Unidos.

Apesar disso, a ciência e o conhecimento de medicina que a civilização ocidental desenvolveu conseguiram em tempo recorde desenvolver um método de tratamento eficaz baseado na hidroxicloroquina. Um método que, ainda que possa ser chamado formalmente de cura, tem demonstrando ser capaz de salvar milhares de vidas.

Mas diante deste fato concreto, parcela expressiva da elite ocidental, o que inclui quase toda a grande imprensa e entidades globalistas como a OMS, que deveria ser chamada de organização criminosa internacional,  insistem em negar a eficácia desse método.

E o fazem porque preferem que milhares de pessoas morram, para assim disseminar o caos e o temor e causar até mesmo a ruptura social nos principais países, para desta forma fazer ruir as bases econômicas e institucionais das democracias liberais do Ocidente. É nesse sentido que o vírus chinês deve ser percebido como arma de guerra contra o mundo ocidental.