O número de pessoas curadas no mundo inteiro após terem contraído a doença do vírus chinês é quase quatro vezes maior do que o numero de óbitos causados pela mesma doença. A grande imprensa, empenhada na missão de espalhar o pânico, privilegia a divulgação da informação sobre o número de mortes, e em geral omite o número de curados.

Até o final da noite deste sábado (11/04) um total de 411.517 pessoas haviam sido curadas da doença. Por sua vez, um total de 109.785 pessoas foram a óbito no mundo todo desde o início da pandemia. As informações são do site worldometers.

O mesmo site informa que existe até o momento 1.792.766 casos confirmados. Tomando o número de óbitos em relação ao total de casos confirmados chega-se a uma taxa de letalidade de 6.1% para o epidemia do coronavírus chinês. Uma taxa relativamente alta, mas que reflete o baixo índice de testagem da maioria dos países.

Enquanto países como França, Itália, Suíça e Israel possuem taxas superiores a 10 mil testes realizados por milhão de habitantes, países como Brasil, Índia, México e Paquistão exibem taxas inferiores a 300 testes por cada milhão de habitantes. Houvesse uma testagem mais ampla no mundo todo, a taxa de letalidade seria substancialmente menor.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE