O Brasil está desenvolvendo dois tipos de sensores para diagnóstico da Covid-19. Segundo o ministro do MCTIC, Marcos Pontes entre as possibilidades está uma tecnologia a laser que fragmenta a saliva em grupos químicos e possibilita o diagnóstico da doença.

O ministro informou em suas redes sociais nesta quarta-feira (16/04) que o segundo protótipo em desenvolvimento é de um senso eletroquímico portátil, semelhante a um pen-drive. O sensor conta com um microchip, onde gotas de saliva são depositadas. Para cada paciente testado, é usado um novo microchip. O diagnóstico sai em cerca de 1 minuto.

O diretor do INCT TeraNano, professor Luiz Ricardo Goulart, afirmou que “hoje não existe um diagnóstico da Covid-19 tão rápido quanto este”, Luiz Ricardo Goulart explicou que a agilidade no resultado do exame permite melhorar o tratamento e o isolamento em larga escala dos pacientes testados, em caso de resultado positivo para a doença.