A União Europeia e 21 outros países da Organização Mundial do Comércio (OMC), dentre eles o Brasil, se comprometeram nesta quinta-feira (23/04) a assegurar o bom funcionamento das cadeias globais de abastecimento alimentar, afetadas pela pandemia do vírus chinês.

A declaração conjunta acontece um dia após a esquerdista Organização das Nações Unidas (ONU) ter advertido para o risco de fome no mundo de proporções bíblicas, levando mais de 130 milhões de pessoas à beira da fome como consequência da pandemia do vírus chinês.

A União Europeia e mais de duas dezenas de países da OMC comprometeram-se, numa declaração conjunta, a assegurar o bom funcionamento da agricultura mundial e das cadeias de abastecimento agro-alimentar, evitando medidas com potencial impacto negativo na segurança alimentar, na nutrição e na saúde dos outros membros da organização e das suas populações.

A declaração conjunta, apela para que quaisquer medidas de emergência relacionadas com a agricultura e os produtos agro-alimentares sejam “orientadas, proporcionadas, transparentes, temporárias e coerentes com as regras da OMC” e “não devem distorcer o comércio internacional destes produtos nem resultar em barreiras comerciais injustificadas”.

*Com informações de Agência Brasil

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE