por paulo eneas
Em nota publicada na tarde deste domingo (26/04), o blog de clippings O Antagonista lamenta que os militares não estejam planejando perseguir os brasileiros que estão criticando o ex-ministro da justiça. A nota, que pode ser lida nesse link aqui, diz o seguinte:

Os militares vão aceitar calados a campanha sórdida dos bolsonaristas contra Sergio Moro? Foi para isso que eles se meteram no governo?

O que o blog das sacripantas gostaria que os militares fizessem? Que saíssem perseguindo e prendendo os brasileiros que exercem seu direito constitucional de expressar sua opinião sobre figuras públicas? O Antagonista por um acaso quer que o honrado Exército Brasileiro transforme-se numa guarda pretoriana chavista?

De que campanha sórdida o blog está falando? Criticar um ex-ministro que traiu o presidente, que ao que tudo indica encobriu as investigações sobre Adélio Bispo, que ignorou os atos ilegais de governadores em meio à epidemia, e que mostrou não ter caráter e não ser homem o bastante ao exibir em rede de televisão conversas privadas dele com o Presidente da República, é o mesmo que campanha sórdida?

O fato é que desde o início do Governo Bolsonaro, a grande imprensa acalenta a esperança de ver o Presidente da República ser deposto ou neutralizado, seja por meio de uma ação militar, seja por meio do golpe branco do parlamentarismo inconstitucional capitaneado por Rodrigo Maia.

Essa vocação golpista da grande imprensa brasileira nunca esteve tão presente como agora no Governo Bolsonaro. A saída de Sérgio Moro do governo transformou essa vocação em um anseio desesperado, como ficou mostrado agora nesta nota golpista do Antagonista, e que representa também uma afronta às Forças Armadas Brasileiras, como se elas fossem se prestar a esse papel.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE