por paulo eneas
Em um áudio que passou a circular nas redes sociais nesta terça-feira (28/04), a deputada federal Joice Hasselmann solicita a um interlocutor a criação de perfis para atuar nas redes sociais em seu favor. Na mensagem, a deputada faz explicitamente o pedido para a criação destes perfis. A transcrição do áudio, que pode ser ouvido mais abaixo, segue abaixo:

Acabei de chegar em São Paulo, cheguei há pouco para algumas entrevistas, mas podia falar com a turma aí para fazer vários perfis e entrar de sola no Twitter especialmente, Instagram, porque eles estão botando todas as milícias lá e os robôs em cima de mim.

Após a repercussão do material nas redes sociais, a deputada admitiu em seu perfil no twitter que o áudio é de sua autoria. Ela admitiu também ter contratado a criação de perfis para atuarem nas redes em seu favor. Em sua mensagem no twitter, que pode ser vista nesse link aqui, ela diz:

Solicitei, SIM, a criação de perfis oficiais para esclarecer as fakes que me atacam. “EquipeJH”, “VerdadeJH” e mais alguns atrelados ao meu perfil oficial. É piada me criticarem por solicitar a criação de perfis verdadeiros e não fakes para me defender e não para atacar ninguém.

A confissão da deputada a coloca em maus lençóis, pois ele admite ter feito exatamente aquilo que ela acusa, sem nunca dar uma prova sequer, os apoiadores do Presidente Bolsonaro de fazer: mandar criar contas em rede social para fazer guerra política contra os adversários.

A deputada também agride e insulta a inteligência do público, inclusive de seus leitores, ao afirmar que solicitou a criação de perfis oficiais. Por definição, um perfil oficial é uma conta criada por uma pessoa ou entidade que responde pelo conteúdo publicado.

Se uma pessoa ou entidade contrata a criação de vários “perfis oficiais”, que irão atuar nas redes sociais seguindo diretrizes e ordens de quem mandou criar estas contas, então não faz sentido falar em perfis oficiais, no plural. Faz menos sentido ainda falar em perfis verdadeiros, pois sob qual critério seriam estes perfis verdadeiros e outros falsos?

O que a deputada admitiu ter feito é montado um esquema de perfis, criados a seu mando, para atuarem de modo coordenado segundo seu interesse político. Ou seja, Joice Hasselmann admite fazer exatamente aquilo que ela acusa, de maneira leviana e sem provas, os apoiadores de Bolsonaro de fazer.

A deputada não apenas confessa uma prática que ela atribuiu a quem ela quer combater politicamente, como toma para si o papel de juiz da verdade, ao afirmar que as contas criadas a mando dela são verdadeiras. Por outro lado, conta que ela não controla e não estão sob suas ordens são, por definição segundo a deputada, fakes. Ou seja, fakes são os outros, sempre.

O desmascaramento de Joice Hasselmann poderá servir para colocar um fim à narrativa política mais pueril e patética criada no Brasil em tempos recentes: a narrativa que fala da existência de um suposto Gabinete do Ódio, que seria uma suposta central encarregada de coordenar ações nas redes sociais para supostamente assassinar reputações.

A deputada é uma das principais propagadoras dessa narrativa que beira à imbecilidade política, e que presta-se ao propósito único de contestar a legitimidade da manifestação de opinião política que milhões de brasileiros exercem espontaneamente nas redes sociais. Mais do que contestar a legitimidade, a narrativa pueril serve para tentar criminalizar a opinião, e a CPMI Fake News soma-se justamente a essa finalidade.

Por fim, o que a deputada chama de assassinato de reputações não passa de uma expressão-gatilho, para fins midiáticos e de efeito emocional, para descrever as críticas que ela recebe por ter traído centenas de milhares de eleitores e ser rechaçada por isso pelo público.

A revelação de Joice Hasselmann joga por terra todo essa estratégia dos adversários e inimigos do Governo Bolsonaro de tentar calar ou intimidar seus apoiadores. Nem Joice nem ninguém mais tem autoridade moral para “acusar” apoiadores de Bolsonaro de fazerem parte de um imaginário e delirante gabinete do ódio que supostamente opera perfis fakes.

Pois o principal argumento que esses detratores tinham acabou de ser jogado no chão pela própria Joice Hasselmann, ao admitir que ele pratica aquilo que ela acusa os demais de fazer, mostrando assim que ela aprendeu muito bem a máxima atribuída a Lenin, que ensinava os comunistas a fazerem exatamente o que Joice Hasselmann admitiu que faz.