por angelica ca
O presidente Jair Bolsonaro falou com a imprensa na saída do Palácio da Alvorada na manhã desta quinta-feira (30/04) e fez um de seus mais duros pronunciamentos. O mandatário brasileiro afirmou que segundo seu entendimento, a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, que suspendeu a nomeação de Alexandre Ramagem para o comando da Polícia Federal foi uma decisão política.

O chefe do executivo enfatizou que respeita a Constituição e que tudo tem limite, e reforçou que a Advocacia Geral da União (AGU) vai recorrer da suspensão da nomeação de Alexandre Ramagem:

“Vai recorrer. Conversei ontem com o Jorge, também com outros ministros, e vai recorrer. Eu lamento agora que não tem tempo. Demora semanas, meses. Espero que [a análise do recurso] seja tão rápida quanto a liminar. Eu espero no mínimo isso do senhor Alexandre de Moraes. No mínimo, espero do senhor Alexandre de Moraes rapidez, para a gente poder tomar as providências”, declarou o presidente Jair Bolsonaro.

O presidente ainda afirmou que a questão da impessoalidade não se justifica e questionou o ministro do Supremo sobre sua amizade com o ex-presidente Michel Temer: “Não justifica a questão da impessoalidade. Como é que o senhor Alexandre de Moraes foi para o Supremo? Amizade com o senhor Michel Temer. Ou não foi?”

Durante sua fala, o presidente Bolsonaro afirmou ainda que não engoliu a decisão de Alexandre de Moraes de desautorizar um presidente da República com uma canetada. “Agora te pergunto, Alexandre de Moraes, o senhor vai tirar o Ramagem da ABIN, que é tão importante quanto? Senhor Alexandre de Moraes, aguardo uma canetada do senhor para tirar ele da ABIN, para ser coerente”.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE