O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, afirmou no domingo (03/05) durante entrevista ao programa “This Week” da ABC que há enormes evidências de que o vírus chinês originou-se de um laboratório em Wuhan, na China e não de um mercado como alguns suspeitavam.

“Há enormes evidências de que foi aí que tudo começou”, disse Mike Pompeo no programa “This Week” da ABC referindo-se ao laboratório de virologia de Wuhan.

O Secretário de Estado americano ainda afirmou que o Partido Comunista Chinês fez todo o possível para garantir que o mundo não soubesse sobre a real dimensão do que estava acontecendo e que teve a oportunidade de evitar a calamidade que se abateu sobre o mundo, enquanto estocava suprimentos médicos.

Quando perguntado se a China armazenou intencionalmente suprimentos médicos no início de janeiro, enquanto ocultava a gravidade da Covid-19, Mike Pompeo respondeu: “Podemos confirmar que o Partido Comunista Chinês fez todo o possível para garantir que o mundo não soubesse em tempo hábil sobre o que estava acontecendo”.

“Dissemos desde o início que este era um vírus originário de Wuhan, na China. Lembre-se, a China tem um histórico de infectar o mundo e possui um histórico de funcionamento de laboratórios abaixo do padrão. Não é a primeira vez que o mundo é exposto a vírus como resultado de falhas em um laboratório chinês”,  afirmou Mike Pompeo.

Também neste domingo, o presidente do Estados Unidos afirmou em entrevista concedida á Fox News que seu governo divulgará em breve evidências “conclusivas” mostrando que o vírus chinês originalmente vazou do Instituto de Virologia da China, Wuhan. “Eu não acho que exista alguma dúvida sobre isso”, respondeu o mandatário americano quando foi perguntado se a ação da ditadura comunista chinesa em ocultar a extensão do vírus subnotificando o total de casos de mortes teria permitido que a pandemia do vírus chinês se espalhasse pelo mundo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE