Segundo levantamento divulgado pela Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia na segunda-feira (11/05), o número de pedidos de seguro-desemprego de trabalhadores com carteira assinada subiram 22,7% em abril, mesmo com a suspensão dos atendimentos presenciais nas unidades do Sistema Nacional de Emprego (Sine).

Somente em abril, foram requeridos 748.484 benefícios de seguro-desemprego, alta de 22,1% em relação ao mesmo mês do ano passado, quando o total de pedidos tinha atingido 612.909. Ao todo, 87% dos benefícios foram pedidos pela internet no mês passado, contra apenas 1,7% em abril de 2019.

Apesar da alta em abril, os pedidos de seguro-desemprego continuam relativamente estáveis no acumulado do ano, tendo somado 2.337.081 de janeiro a abril de 2020. O total representa aumento de 1,3% em relação ao acumulado no mesmo período do ano passado, 2.306.115.

A pasta informou em nota que estima até 250 mil pedidos de seguro-desemprego ainda possam ser feitos nos próximos meses por não terem sido realizados presencialmente nos meses de março e abril. Os requerimentos podem feitos de forma 100% digital e não há espera para concessão de benefício.

Nesta segunda-feira, o secretário de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, afirmou que 6,2 milhões de pessoas aderiram à medida provisória que permite a redução de salário e a suspensão do contrato de trabalho.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE