Um estudo realizado na Espanha com mais de 60 mil voluntários mostrou um resultado que evidencia a ineficácia das quarentenas ou isolamento social. O estudo mostrou uma menor incidência de contágio pelo coronavírus entre trabalhadores ativos que estão exercendo sua atividade profissional normalmente e saindo de casa todos os dias.

Por outro lado, esse mesmo estudo constatou que uma incidência maior de casos de covid-19 justamente entre as pessoas que estão confinadas em suas casas, seguindo as determinações de quarentena e de isolamento social.

O resultado corrobora a afirmação que vem sendo feita por inúmeros epidemiologistas e que nós já reproduzimos e endossamos aqui no Crítica Nacional: medidas de quarentena e de isolamento, que não devem ser confundidas com medidas distanciamento social e de prevenção em geral,  têm efeito zero sobre a dinâmica de propagação de um vírus.

O estudo foi divulgado também pelo Dr. Didier Raoult, médico francês que foi um dos pioneiros no uso da hidroxicloroquina para tratamento precoce de pessoas acometidas pela covid-19. Didier afirma na mensagem de divulgação do estudo que a estratégia de confinamento precisa ser repensada. O documento do estudo por ser visto nesse link aqui.


 

ESTUDO COM SESSENTA MIL PESSOAS NA ESPANHA MOSTRA INEFICÁCIA DAS QUARENTENAS