O ditador narco-comunista e genocida venezuelano Nicolas Maduro publicou em sua rede social nesta sexta-feira (15/05) a informação de que a Venezuela estaria “avançando na produção” da cloroquina, medicamento usado para tratamento de paciente infectados pelo vírus chinês.

Não foi dada qualquer evidência dessa suposta produção, assim como nada foi afirmado a respeito do protocolo pelo qual o medicamento estaria sendo usado pelos médicos venezuelanos.

A infraestrutura econômica da Venezuela foi destruída pelo regime de ditadura comunista implantado naquele país pela organização criminosa narco-traficante chefiada por Nicolás Maduro. Considerando estas condições, a informação trazida pelo narco-ditador sobre a produção venezuelana de cloroquina precisa ser avaliada com reservas.

O regime de ditadura venezuelano impôs no dia 13 de março o estado de alarme, com medidas que incluem quarentena, interrupção do que ainda restava naquele país de atividade econômica, fechamento de fronteiras e do espaço aéreo. O estado de alarme irá estender-se até o dia 12 de junho.

Estas medidas restritivas nunca se provaram eficazes no combate a epidemias e o único efeito delas é derrubar a economia de um país. No caso da Venezuela, estas medidas apenas somam-se às arbitrariedades diárias cometidas pela ditadura de Nicolas Maduro.

E uma destas arbitrariedades foi a ordem dada pelo regime para fazer a hospitalização forçada de todas as pessoas infectadas pelo vírus chinês no país, conforme o Crítica Nacional havia informado no inicio de abril.

Leia também:
1) VÍRUS CHINÊS: DITADOR NICOLAS MADURO ORDENA HOSPITALIZAÇÃO FORÇADA

2) DITADOR NICOLAS MADURO APROVEITA QUARENTENA PARA INTENSIFICAR PERSEGUIÇÕES