por teff ferrari
É comum ver a população se movimentar em boicotes às empresas que se posicionam favoravelmente a questões políticas sensíveis. Para se manter fora de polêmicas diversas, empresas preferem responder as contestações do público quebrando contrato com influenciadores que não estão representando bem sua marca ou realizando outras medidas para salvar sua pele diante da fiscalização de suas práticas.

Como praticamente tudo na vida pode ser usado para o bem ou para o mal, recentemente foi descoberta a existência de um perfil anônimo no Twitter chamado Sleeping Giants Brasil. Ele tem sido usado para fazer intimidação de anunciantes para alguns sites e nichos, trazendo declaradamente sua intenção na bio do perfil:

“Tentamos impedir que sites racistas ou de Fake News monetizem através da publicidade. Muitas empresas não sabem que isso acontece, é hora de contar a elas”.

Até aí, poderia ser honrável uma iniciativa que expõe páginas racistas, mas sempre que alguém falar em “Fake News”, meu amigo… Fique atento! Sim, como você poderia suspeitar o perfil intimida empresas que fazem anúncios em sites conservadores que, para esses militantes, seria sinônimo de uma diversidade de istas: racistas, machistas, taxistas, enfim…

O primeiro alvo do ataque deles foi o Jornal da Cidade Online. Acusaram-no de ser extremista, racista, e de atentar contra a democracia, como todo bom e velho discurso repetido como mantra pela esquerda.

Uma das Editoras do TheIntercePT, Tatiana Dias, fez propaganda deste perfil em seu Twitter citando, inclusive, o passo-a-passo de como o Google e os anunciantes lucrariam com a audiência através de clicks em sites “que espalham desinformação”, ou melhor, em sites que são contrários a ideologia da moça…

Aparentemente, várias dessas empresas ficam em uma situação bastante delicada com essa exposição para seus clientes, elas são cobradas pelos mais absurdos argumentos e intimidadas pela ação dos militantes, afinal de contas, que marca quer ser associada ao racismo?

O ataque acontece de forma orquestrada. Primeiramente é feita uma denúncia pelo perfil Sleeping Giants Brasil com prints e acusações de que os anunciantes estariam corroborando com os “portais extremistas”. Em um segundo momento, estes tweets de denúncia são compartilhados, curtidos e favoritados por uma série de perfis de esquerda, além de também, partirem cobranças usando o nome e/ou imagem de grandes influenciadores do meio esquerdista, como Nil Moreto.

Após concluídas as primeiras fases da exposição da marca, a mais vil operação ocorre depois, pois a intenção deste perfil não é ridicularizar a marca apenas por diversão, mas fazer com que, através dessa ridicularização, a única alternativa que reste para a empresa seja de cancelar seus anúncios e campanhas exibidas em portais conservadores.

Empresas que não ignoram ou a “denúncia” acaba passando desapercebida, simplesmente acolhem a intimidação através dos setores de relações públicas e mandam o Google/Ad Sense retirar o anúncio do site.

Você pode acompanhar a seguir o posicionamento passivo que as empresas apresentam diante deste perfil. Seria somente o medo de ter sua imagem vinculada a qualquer escândalo ou será que essas empresas partilham das mesmas ideologias esquerdistas e são nada mais, nada menos do que hipócritas por pregar tanto diálogo e democracia, mas acovardam-se por um perfil aliado às mesmas figurinhas “famosas” da classe do “mais amor, por favor”.

Agora você pode estar se perguntando, “mas o que poderia ser feito em relação a isso?”, bem devemos pensar uma reação conjunta de denúncia desse perfil por calúnia e tentar abordar essas empresas anunciantes com outro enfoque. Enquanto o empresariado não entender que os conservadores são um nicho de mercado tão forte quanto os adolescentes coloridos da esquerda, não será viável e/ou possível nos mantermos nessa disputa.

É preciso que cada um faça a sua parte se colocando contrário às injustiças e propagando virtudes. Se a direita não se alinhar além de somente ficar tentando se definir e se redefinir diariamente, será enfraquecida pela estrondosa força conjunta que a esquerda tem.

No atual cenário político que nos encontramos, o Brasil está mais do que polarizado, não é mais uma questão de direita e esquerda. Agora o que é apresentado para o cidadão é a frequente e incessante quebra de seus direitos fundamentais através do “cale-se” dos fiscais de opinião, do tribunal da exceção, do politicamente correto, e de todo um universo de militantes, que, insatisfeitos com o privilégio que a democracia permite de opinar, querem mais! De maneira ditatorial e intolerante desejam calar a divergência.

Se a opinião contrária manifestada for aversiva ao ideopata acostumado a tomar leite de soja e provido de um ego enfraquecido pela quantidade alienante de Paulo Freire que injetou na academia, ele irá, com requintes de crueldade, fazer de tudo para que opiniões, pessoas, instituições e poderes dobrem os joelhos ao seu pensamento. Bem vindo a democracia do jovem cool desconstruidx de 2020.

O portal Jornal da Cidade Online se manifestou nesta quarta-feira (20) sobre as denúncias e o “codinome carinhoso” atribuído ao Jornal pelo perfil anônimo:

“Para descrever o Jornal da Cidade Online como um “site de fake news”, o perfil usa matérias da Agência Aos Fatos, que está sendo acionada judicialmente pelo Jornal da Cidade Online, inclusive na esfera criminal, por uma série de mentiras absurdas que foram devidamente desmentidas em uma matéria recente, cuja a tal agência inclusive não se prontificou em publicar como direito de resposta”.

LINK: https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/20609/militantes-de-esquerda-criam-perfil-anonimo-para-pressionar-boicote-de-anunciantes-ao-jornal-da-cidade-online


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE