O Secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, afirmou nesta quarta-feira (20/05), durante entrevista a repórteres, que o partido comunista chinês optou por destruir amostras do vírus em vez de compartilhar ou pedir ajuda.

Na semana passada, o porta-voz da Comissão de Saúde da China, Liu Dengfeng, confirmou que “o governo chinês emitiu uma ordem em 3 de janeiro para descartar amostras de coronavírus em laboratórios não autorizados”, reafirmando as denúncias de Mike Pompeo.

“O partido comunista chinês escolheu ameaçar a Austrália com retaliação econômica pelo simples ato de pedir uma investigação independente sobre as origens do vírus”, continuou Pompeo, acrescentando “Isso não está certo”.

O Secretário de Estado, ainda afirmou que o Estados Unidos estão do lado da Austrália e “dos mais de 120 países que adotaram a meta americana de investigar as origens do vírus, para que possamos entender o que deu errado e salvar vidas agora e no futuro”.

Pompeo também criticou o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde, Tedros Adhanom, que, segundo ele, foi pressionado pela China para excluir Taiwan da Assembléia Mundial da Saúde em Genebra.