Após várias semanas de um impasse desgastante para o governo, a atriz Regina Duarte finalmente sai da Secretaria Especial de Cultura do Governo Federal. Oficialmente a saída da atriz foi motivada por razões pessoais e familiares, mas a real motivação para sua já esperada saída da pasta foi de natureza política.

Regina Duarte mostrou-se em total desalinhamento político com o Presidente Bolsonaro durante sua permanência na Secretaria de Cultura, quando a atriz global ocupou-se basicamente em promover e facilitar a ocupação esquerdista da pasta, tentando nomear tucanos e psolistas para postos chave. Quase todas as nomeações foram barradas.

A passagem de Regina Duarte pela Secretaria de Cultura também foi marcada por uma verdadeira perseguição aos profissionais conservadores e bolsonaristas históricos que trabalhavam na pasta, que foram quase todos exonerados com sua chegada. A atriz chegou a referir-se a estes profissionais como milicianos ideológicos.

Não foi anunciado ainda o novo nome para a Secretaria da Cultura. Após conversar com o Presidente da República, ficou acertado que atriz passará a exercer presidência da Cinemateca Brasileira, em São Paulo.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE