por paulo eneas
O decadente e obscuro senador tucano paulista José Serra saiu das sombras trevosas de sua irrelevância política para vir a público anunciar um projeto de decreto legislativo para suspender o novo protocolo divulgado ontem pelo Ministério da Saúde para o uso da cloroquina e hidroxicloroquina em pacientes em todos os casos, inclusive aqueles com sintomas leves, para tratamento do vírus chinês.

O protocolo é uma orientação do Ministério da Saúde para a rede pública de saúde e está sendo demonizado por toda grande imprensa e políticos que não desejam a cura dos pacientes acometidos da doença do vírus chinês. Estas figuras públicas tucanas e de toda escória esquerdista apostam em um número crescente de mortes de inocentes com a finalidade única de fazer guerra política contra o Presidente Bolsonaro.

Com a retórica de que médicos e a Organização Mundial da Saúde, braço direito da esquerdista ONU, se posicionaram contra a medida do Governo Federal, o que no caso da maioria dos médicos é rigorosamente falso, o senador mentiu que o medicamento não possui eficácia comprovada. Serra alegou que o medicamento pode causar efeitos colaterais graves, ignorando o fato óbvio de que toda medicação possui efeitos colaterais.

José Serra é um político da velha extração socialista do tucanato e muito provavelmente está exercendo seu último mandato eletivo. Ao sair de sua obscuridade para somar-se àqueles que militam a favor do vírus e contra a vida dos brasileiros, o velho tucano mostra que mesmo no fim de sua carreira política continua fazendo aquilo que todo esquerdista sempre fez e faz: agir contra a liberdade e a vida da maioria da população.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE