por angelica ca e paulo eneas
O primeiro-ministro britânico Boris Johnson ordenou que a elaboração de um plano para reduzir a presença da Huawei nas redes 5G do país. A ordem foi dada em meio à crescente reação de vários países contra a China pela maneira como o regime comunista chinês lidou com a pandemia do coronavírus, ao retardar ao máximo o alerta ao resto do mundo sobre o impacto potencial que o vírus poderia ter.

Já existe convicção formada junto a líderes ocidentais de que o Partido Comunista da China concentrou suas energias em encobrir as origens do surto, o que resultou a disseminação da pandemia que já custou a vida de milhares de pessoas e está destruindo a economia mundial.

Boris Johnson pediu para que sua administração prepare um projeto para zerar a participação da Huawei até o ano 2023 no Reino Unido, conforme relatado pelos jornais The Guardian e Telegraph na edição deste sábado (23/05).

Políticos conservadores no parlamento britânico condenaram a manipulação do vírus chinês pela China e culpam a falta de transparência do regime comunista de Pequim em torno de sua resposta inicial ao surto mundial, e pediram que limites sejam impostos aos investimentos chineses.

O governo do Reino Unido, está elaborando um plano denominado Project Defend, com objetivo de acabar com a dependência no fornecimento de equipamentos essenciais, incluindo produtos farmacêuticos e de proteção individual de uso hospitalar fabricados na China.

Existem também planos sendo elaborados para diversificar as importações britânicas de bens essenciais, incluindo produtos farmacêuticos e de uso hospitalar. O plano visa acabar com a dependência do país no fornecimento de itens industriais de produção chinesa.

O projeto faz parte de uma nova abordagem ampla da segurança nacional liderada pelo secretário de Relações Exteriores do Reino Unido, Dominic Raab, e visa proteger a segurança nacional e a indústria de tecnologia britânica após a pandemia. Com informações The Guardian, Telegraph e Politico.


Crítica Nacional Notícias: