por angelica ca                                                                                                              O Ministério da Saúde anunciou na segunda-feira (25/05) que não modificará orientação do governo emitida na semana passada sobre a utilização precoce da cloroquina e hidroxicloroquina em pacientes com a Covid-19, por conta da decisão da Organização Mundial da Saúde de suspender de pesquisas com o medicamento.

“Estamos muito tranquilos e serenos em relação à nossa orientação. Ela segue uma orientação feita pelo Conselho Federal de Medicina, que dá autonomia para que os médicos possam prescrever essa medicação para os pacientes que assim desejarem. Isso é o que vamos repetir diariamente”, declarou Mayra Pinheiro, secretária de gestão em trabalho na saúde do ministério, durante coletiva de imprensa em Brasília.

Segundo a secretária de gestão, Mayra Pinheiro, o Ministério da Saúde tem um banco de informações com 216 protocolos sobre as substâncias utilizados ao redor do mundo. A secretária criticou o estudo da OMS e disse que ele não serve como base para levar a um recuo da orientação do ministério.

“Não se trata de um ensaio clínico, é apenas um banco de dados coletado de vários países e isso não entra no critério de um estudo metodologicamente aceitável para servir de referência para nenhum país do mundo, e nem para o Brasil”, declarou Pinheiro.

Conforme noticiado pelo Crítica Nacional, a OMS decidiu suspender pesquisas que vinha fazendo com o medicamento com base em um estudo publicado na sexta-feira (22/05), pela revista médica britânica The Lancet. Com informações de Diário de Pernambuco.

A Fraude Científica da Revista The Lancet & da OMS Contra a Hidroxicloroquina

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE