por angelica ca
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou na segunda-feira (01/06) que iria enviar as Forças Armadas para conter os distúrbios e a violência que ocorreram nos últimos dias após a morte de George Floyd. “Estou mobilizando todos os recursos federais disponíveis, civis e militares, para impedir os tumultos e saques, impedir a destruição e o incêndio criminoso. E para proteger os direitos dos americanos que respeitam a lei”, afirmou Donald Trump na Casa Branca.

O mandatário americano também recomendou que os governadores mobilizassem a Guarda Nacional para sair às ruas para “impedir os distúrbios, saques, vandalismo, agressões e a destruição sem sentido da propriedade” e ameaçou empregar as Forças Armadas casos eles se recusassem. “Se uma cidade ou estado se recusar a tomar as medidas necessárias para defender a vida e a propriedade de seus residentes, usarei as Forças Armadas dos Estados Unidos e rapidamente resolverei o problema para eles”, declarou Donald Trump.

“Também estou tomando medidas rápidas e decisivas para proteger nossa grande capital, Washington. O que aconteceu na cidade na noite passada foi uma desgraça total. Enquanto falamos, despacho milhares e milhares de soldados fortemente armados, militares e agentes da lei. Oficiais para parar os tumultos, saques, vandalismo, agressões e a destruição arbitrária de propriedades”, disse Donald Trump. “Vamos terminar agora.”

Nesta terça-feira, o presidente norte-americano usou suas redes sociais para elogiar a aplicação da lei pelos governadores nas ações de vandalismo promovidas por delinquentes comunistas e repreendeu o governador de Nova York, Andrew Cuomo por não aceitar o destacamento da Guarda Nacional oferecido pelo exército: “Nova York foi tomada por saqueadores, bandidos, esquerda radical e todas as outras formas de escória e lixo”, escreveu o presidente americano. Com informações de Infobae e CBS News


Crítica Nacional Notícias:


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE