por angelica ca
Milhares de manifestantes foram às ruas de cerca de 70 cidades da Argentina no último sábado (20/06), em protesto contra a decisão do poste de Cristina Kirchner, Alberto Fernández, de estatizar a quarta maior agroexportadora de grãos do país, a companhia Vicentin.

O epicentro dos protestos foi em Avellaneda, Santa Fe, cidade onde a empresa Vicentin está localizada. Com gritos pedindo liberdade, os manifestantes que se opõem ao governo de Kirshner e Fernandez aproveitaram a data do dia 20 de junho, Dia da Bandeira da Argentina, para pedir respeito pelo direito de propriedade que vem sendo ameaçado pelo governo do Foro de São Paulo no país vizinho.

Outras cidades do interior do país, incluindo Córdoba, Rosário, Mar del Plata, Tucumán e Mendoza, também foram palco de grandes protestos. Em Obelisco e Tigre, os manifestantes exigiram o fim da quarentena.

Segundo informou o site El Mundo, a empresa Vicentín tem uma dívida de cerca de 1.300 milhões de dólares e se declarou incapaz de pagá-la. O complexo agroexportador é fundamental para a economia do país, e o seu possível desaparecimento poderá representar  um sério problema social na Argentina, país em recessão há dois anos e que foi aprofundada em meio à crise do vírus chinês. Com informações de El Mundo e Infobae.


Crítica Nacional Notícias:


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE