por paulo eneas
Segundo informações preliminares que recebemos, o detento Luciano Ayan poderá assinar acordo de colaboração premiada (vulgarmente conhecida como “delação premiada”) com a Justiça de São Paulo. Mentor intelectual do MBL e autor da peça farsesca sobre a existência de um suposto gabinete do ódio, Luciano Ayan foi preso em 10 de julho pela Polícia Civil de São Paulo por suspeita de lavagem de dinheiro.

Na última quarta-feira (15/07) a justiça paulista determinou a prorrogação de sua prisão temporária, bem como de outro integrante do MBL,  Alessander Mônaco Ferreira. O prazo para a prisão temporária de ambos teria vencido na última segunda-feira, dia em que pode ter ocorrido a conversão da temporária em provisória.

Caso a colaboração do investigado Ayan seja confirmada, é provável que ela também venha a desdobrar-se em outras negociações com a Justiça Federal e o Ministério Público Federal pois, segundo nossas fontes, as investigações apontam para o possível cometimento de crimes federais por parte de Luciano Ayan e pessoas a ele associadas, incluindo jornalistas da grande imprensa e políticos. Mais tarde traremos mais informações.


Crítica Nacional Notícias: