por angelica ca
Uma forte explosão na capital libanesa, Beirute, ocorreu nesta terça-feira (04/08) deixando pelos menos 57 pessoas mortas e mais de 2.750 feridos, conforme informou o ministro da Saúde do Líbano, Hamad Hassan.

Segundo informações dos noticiários internacionais, ao menos três explosões foram originadas em um tanque no porto de Beirute. Os vídeos publicados nas redes sociais mostraram uma grande nuvem de cogumelos e seguida de uma nuvem de fumaça escura após a explosão.

A explosão liberou uma enorme onda de choque de ar, água e fumaça em vaporização que dizimou as áreas ao redor do porto, causando danos generalizados a edifícios e quebrando janelas em diferentes partes da cidade. Uma das explosões ocorreu perto da residência do ex-primeiro-ministro no centro da cidade, de acordo com a jornalista Joyce Karam.

A causa da explosão na região portuária ainda é desconhecida. O chefe da Segurança Geral do Líbano disse que pode ter sido causada por material altamente explosivo confiscado de um navio há um ano e armazenado no porto. O canal de televisão local LBC identificou o material como nitrato de sódio, usado como fertilizante e também para produzir explosivos.

Possível ligação com grupos terroristas
O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, denunciou em um discurso em setembro de 2018 na Assembléia Geral das Nações Unidas, que o grupo terrorista Hezbollah havia construído instalações para o armazenamento de mísseis no coração da população civil de Beirute.

Durante seu discurso, Benjamin Netanyahu exibiu um mapa indicando a localização dos depósitos de armas dos terroristas do Hezbollah, situados perto do aeroporto de Beirute. Na época, o premier israelense acusou o grupo terrorista Hezbollah de usar deliberadamente o povo inocente de Beirute como escudos humanos.

A sequência de vídeos abaixo ilustra o registro da explosão na região portuária e também exibe imagens da destruição provocada no entorno. Antes, a imagem a seguir registra um momento do pronunciamento do premier israelense Benjamin Netanyahu na ONU em 2018 denunciando a instalação de armamentos do grupo terrorista Hezbollah na capital libanesa, Beirute.


[videopress l6MNBOBx]

 

 

[videopress ST8NNPah]


[videopress FvBJx726]


[videopress OR2KGBct]


[videopress xiMatGhE]


[videopress gBl80lOZ]


Crítica Nacional Notícias:


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE