por angelica ca
Os Estados Unidos e Taiwan assinaram nesta segunda-feira (10/08), acordo histórico sobre cooperação em saúde, denominado Memorando de Entendimento (MOU). O Memorando de Entendimento foi assinado durante visita do Secretário de Saúde americano a Taiwan, Alex Azar para fortalecer a cooperação econômica e de saúde pública com a ilha.

De acordo com um comunicado à imprensa pelo Ministério da Saúde e Bem-Estar de Taiwan (MOHW), o MOU tem como objetivo fortalecer a cooperação contínua em segurança global de saúde, investigação e controle de doenças infecciosas, pesquisa, prevenção e tratamento de doenças crônicas e desenvolvimento de medicamentos e vacinas, por meio de programas cooperativos, reuniões e intercâmbio de pessoal.

“Este MOU visa melhorar a saúde e o bem-estar das pessoas de Taiwan e dos Estados Unidos, bem como promover a segurança da saúde global juntos”, declarou o MOHW.

Durante coletiva à imprensa hoje, Alex Azar parabenizou ao sistema aberto e democrático de Taiwan por conter com sucesso a propagação do vírus chinês. Azar disse que a resposta da ilha à pandemia tem sido uma das mais bem-sucedidas do mundo tanto em detecção e gerenciamento quanto em compartilhar suas descobertas com outras nações, um bom trabalho que ele atribuiu a valores democracia compartilhada.

A reação de Taiwan à COVID-19 está entre as mais eficazes do mundo e isto reflete a natureza aberta, transparente, democrática da sociedade e da cultura de Taiwan“, declarou Azar

Azar também disse que a decisão dos Estados Unidos de deixar a Organização Mundial da Saúde (OMS) não significará menos envolvimento de seu país na saúde pública mundial e sinalizou a possível criação de uma organização global de saúde alternativa à OMS pelo governo americano:

Os Estados Unidos sempre foram e continuarão a ser o maior financiador de saúde pública do mundo. Ainda somos membros da OMS porque o processo (de saída) vai demorar (…). Porém, após nossa saída da OMS, trabalharemos com outros na comunidade global para encontrar os meios apropriados para continuar o apoio em uma base bilateral e multilateral”, explicou Alex Azar.

Azar enfatizou que Taiwan, embora não seja membro da Organização Mundial da Saúde (OMS), se ofereceu para doar US$ 1 milhão à OMS para ajudar o Congo a combater o surto local de Ebola. No entanto, “por orientação de Pequim, a OMS recusou essa contribuição”, disse Azar. Com informações de Epoch Times, Panam Post e CNBC.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE