por angelica ca
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta terça-feira (01/09) que seu governo não irá associar-se a “organizações multilaterais influenciadas pela corrupta Organização Mundial da Saúde e pela China” para fornecer, desenvolver, fabricar e distribuir uma vacina contra a covid, segundo informou a Casa Branca. Com este anúncio, o governo norte-americano sinaliza que seguirá sozinho no desenvolvimento e distribuição de uma vacina contra o vírus chinês.

“Sob a liderança do presidente Trump, vacinas e pesquisas terapêuticas, desenvolvimento e testes avançaram a uma velocidade sem precedentes para fornecer medicamentos eficazes e inovadores, orientados por dados e segurança, e não retidos pela burocracia governamental”, disse o porta-voz da Casa Branca, Judd Deere. “Os Estados Unidos continuarão a envolver nossos parceiros internacionais para garantir que derrotemos esse vírus, mas não seremos limitados por organizações multilaterais influenciadas pela corrupta Organização Mundial da Saúde e pela China.”

O comunicado ainda prossegue dizendo: “Este presidente não poupará despesas para garantir que qualquer nova vacina mantenha o padrão ouro do nosso próprio FDA para segurança e eficácia, seja exaustivamente testada e salve vidas”, acrescentou Deere.

Em meados de julho, a OMS anunciou um projeto para distribuir uma vacina a países ao redor do mundo. Quase todas as nações do mundo, incluindo o Brasil, estão participando das negociações iniciais do programa de financiamento chamado COVAX Facility. O programa envolve a própria Organização Mundial de Saúde, a União Europeia, Alemanha, Japão e várias organizações não governamentais para garantir acesso rápido às vacinas contra a covid.

O presidente norte-americano Donald Trump criticou por diversas vezes a forma como a OMS está lidando com a pandemia do vírus chinês, e acusou a entidade de estar muito focada na China mesmo que seja financiada em grande parte pelos Estados Unidos. Em julho, Donald Trump anunciou que os Estados Unidos estavam retirando-se oficialmente da Organização Mundial de Saúde e criticou a instituição multilateral, acusando-a de ser uma ferramenta do Partido Comunista Chinês. Com informações de The Hill e Axios.


Crítica Nacional Notícias:


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE