por angelica ca e paulo eneas
O ex-prefeito de Nova York e advogado do presidente norte-americano Donald Trump, Rudy Giuliani, anunciou em entrevista nesta terça-feira (20/10) que entregou o disco rígido do laptop de Hunter Biden, filho do candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, à Polícia Estadual de Delaware.

Segundo Rudy Giuliani revelou à Newsmax, o disco contém materiais sexualmente explícitos envolvendo meninas menores de idade, além de mensagens de texto trocadas entre Hunter Biden e Joe Biden nas quais Hunter admite manter um relacionamento sexual com uma menina de catorze anos na época:

“Há uma mensagem de texto para o pai em que ele [Hunter Biden] está falando sobre sua cunhada, que, por algum tempo, foi sua amante, e afirma que teve um relacionamento com uma garota de catorze anos”, afirmou Giuliani, que também afirma haver nas mensagens referências ao uso de drogas. O conteúdo do computador já está de posse do FBI.

“Bernie Kerik e eu entregamos o assunto à Polícia Estadual de Delaware porque estou muito incomodado com isso. E estou muito incomodado com o fato de que essas meninas menores de idade não foram protegidas”, disse Rudy Giuliani.

Por sua vez, Giuliani denunciou que o FBI possui os materiais do computador há um ano. Giuliani disse que a aparente inação do FBI influenciou sua decisão de relatar o assunto à polícia local: “FBI tem isso há muito tempo”, disse Giuliani. “Nenhuma indicação de que eles fizeram algo a respeito, então fui à polícia local e perguntei: O que você vai fazer a respeito?”

A procuradora-geral de Delaware, Kathy Jennings, era protegida de outro filho do vice-presidente, Beau Biden, que por sua vez serviu como procurador-geral do estado de 2007 a 2015.

Kathy Jennings começou seu mandato como promotora estadual em 2011 e foi promovida em Delaware em janeiro de 2019, e tem como procurador-geral adjunto Alexander S. Mackler, que foi o consultor jurídico adjunto do então vice-presidente Joe Biden. Informações de Zero Hedge, Fox News, Washington Examiner e Real Clear Politics.


Crítica Nacional Notícias:


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE