por paulo eneas
O vice-presidente Hamilton Mourão voltou a afrontar o Presidente Bolsonaro nesta terça-feira (03/11) ao comentar a posição favorável do Chefe de Governo brasileiro ao candidato republicando Donald Trump. Mourão disse que “isso é uma bobagem, é a opinião pessoal dele [Bolsonaro]”. Em seguida Mourão emendou, afirmando que “ele [Bolsonaro] fala por todo o governo”.

Além de afrontar pela enésima vez a autoridade do Presidente da República, o vice-presidente Hamilton Mourão caiu em contradições lógicas. Primeiro ao dizer que a opinião do Presidente Bolsonaro sobre as eleições americanas é opinião pessoal dele, Bolsonaro. Óbvio que somente pode ser opinião pessoal dele, Bolsonaro. Afinal, de quem mais seria?

Mourão se contradiz também ao reconhecer que a opinião pessoal do presidente representa todo o governo, o que significa então que para Mourão a opinião do governo sobre o tema é uma “bobagem”. Cabe assim perguntar o que ainda faz no governo um integrante que considera as posições desse governo uma “bobagem”.

O fato é que Hamilton Mourão não perde a oportunidade de mostrar que ele representa um projeto e uma concepção de governo distintos daqueles pelos quais o Presidente Bolsonaro foi eleito. E ele, Mourão, o faz sempre proferindo inúmeras bobagens.

Como a bobagem que ele afirmou logo no início do governo de que a ditadura comunista venezuelana é “um problema dos venezuelanos”. Uma afirmação que está na contramão da diretriz da bem-sucedida política externa brasileira. Mas possivelmente do alto de sua sapiência positivista, Mourão deve considerar também a nossa política externa uma bobagem.

O fato é que de bobagem em bobagem o vice-presidente da República, o principal defensor do estreitamento das relações do Brasil com o regime comunista e genocida chinês e adversário convicto da agenda conservadora do governo, já deixou claro que seu projeto político de longo prazo, se existir, segue caminho distinto daquele que corresponde às aspirações da maioria dos brasileiros.

É seguramente por esta razão que os brasileiros demonstram quase diariamente nas ruas e nas redes sociais que eles estão fechados com Bolsonaro, e não com Hamilton Mourão.


Crítica Nacional Notícias:


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE