por paulo eneas
Após uma madrugada dramática de apuração dos votos, quando as suspeitas de fraudes começaram a ganhar força principalmente após o pronunciamento obscuro e oblíquo do comunista Joe Biden dando a senha para a interrupção da contagem de votos, a eleição norte-americana segue indefinida e envolta num véu de obscuridade quanto à lisura do processo.

Quase todos os veículos da grande imprensa norte-americana, e por extensão a brasileira, trazem um claro viés pró-Biden e ignoram por completo as inúmeras evidências de fraude, assim como ignoraram e ocultaram as denúncias sobre os crimes cometidos por Hunter Biden e que podem envolver o próprio candidato comunista do Partido Democrata.

Os números mais amplamente divulgados neste momento (16h10m da tarde de quarta-feira 04/11) indicam um total de 238 delegados para Joe Biden contra 214 delegados para Donald Trump. A campanha republicana solicitou a recontagem dos votos no Estado de Wisconsin, onde existe a suspeita de que o número de votos computados supera o número de eleitores inscritos.

O twitter prossegue censurando as denúncias de fraudes feitas pelo próprio Donald Trump. Uma publicação do presidente norte-americano denunciando a tentativa de fazer desaparecer cerca de meio milhão de votos na Pennsylvania em favor do candidato republicano foi bloqueada pela rede social.

No Estado de Michigan, após a paralisação da apuração por ordem de Joe Biden em seu discurso da madrugada, um total de 100 mil votos foram computados em seguida em favor do candidato comunista do Partido Democrata. Por sua vez, na Florida, foi descoberto um esquema para registrar pessoas mortas como eleitores no Condado de Broward, segundo informa o site Terra Brasil.

Também em Minnesota existe a suspeita de votos fantasmas, pois o total de votantes supera o total de eleitores registrados. No estado de Dakota do Norte foi eleito um candidato a deputado que faleceu em outubro, segundo o site Terra Brasil. Portanto, todas as evidências indicam que os Estados Unidos estão experimentando a maior fraude eleitoral de sua história.

Uma fraude que foi desencadeada a partir do momento que Joe Biden deu a ordem para o seu início, no seu pronunciamento na madrugada. Uma fraude que ocorre com a conivência criminosa da grande imprensa, que ignora as denúncias, e prossegue fazendo uma cobertura-torcida em favor do comunista Joe Biden.


Crítica Nacional Notícias:


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE