por angelica ca e paulo eneas
O ministro israelense dos assentamentos, Tzachi Hanegbi, advertiu nesta quarta-feira (04/11) sobre o risco de guerra entre Israel e Irã se Joe Biden vencer as eleições norte-americanas, por conta da posição pró-iraniana defendida pelo candidato comunista do Partido Democrata a respeito do acordo nuclear dos Estados Unidos com o país dos aiatolás.

“Joe Biden já afirmou abertamente várias vezes que [os Estados Unidos] voltariam ao acordo nuclear [com o Irã]. Vejo isso como um risco de confronto entre Israel e Irã”. O acordo nuclear firmado pelos Estados Unidos com o Irã durante o governo do socialista Barack Obama foi suspenso no governo de Donald Trump.

Para Israel, o restabelecimento do acordo representaria uma ameaça à sua existência, como Benjamin Netanyahu já havia alertado ainda em 2015. O ministro israelense completou: “se Biden continuar com essa política [de restabelecer o acordo nuclear com o Irã], haverá um confronto violento entre Israel e o Irã”.

Enquanto isso, outros países do Oriente Médio, como o Egito, estão preocupados com a possibilidade de um governo de Joe Biden fazer reviver as políticas do socialista e muçulmano Barack Obama para a região. Políticas estas que levaram ao fortalecimento da ditadura teocrática muçulmana no Irã e ao surgimento do Estado Islâmico.

Durante seu governo, Barack Obama liderou as intervenções desastrosas na Síria e na Líbia, e ordenou a retirada precipitada das tropas norte-americanas do norte do Iraque, o que resultou no surgimento do Estado Islâmico e o agravamento da guerra civil síria.

Barack Obama também também suspendeu a ajuda ao Egito depois que protestos populares depuseram o Muhammad Mursi, o líder da Irmandade Muçulmana que assumiu o poder naquele país em 2013 logo após a chamada primavera árabe, movimento revolucionário muçulmano que havia sido fomentado pelo próprio Barack Obama. Informações de Arab News, Jerusalem Post e Summit News.


Crítica Nacional Notícias:


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE