por angelica ca e paulo eneas
O Procurador-Geral dos Estados Unidos, William Barr, autorizou na noite desta segunda-feira (09/11) os procuradores federais norte-americanos a investigar todas as denúncias fundamentadas de fraudes que possam ter ocorrido nas eleições presidenciais. As investigações serão conduzidas antes que o resultado da eleição seja oficializado.

Em um memorando aos procuradores dos Estados Unidos, obtido pela The Associated Press, William Barr escreveu que as investigações “podem ser conduzidas se houver alegações claras e aparentemente críveis de irregularidades que, se verdadeiras, poderiam impactar o resultado de uma eleição federal em um Estado individual”.

O procurador-geral afirmou que quaisquer denúncias que “claramente não afetam o resultado de uma eleição federal” devem ser adiadas até depois que essas eleições sejam certificadas, e determinou aos promotores que sejam abertos inquéritos preliminares, que possam permitir aos investigadores e promotores analisarem se há evidências que indiquem a adoção de outras medidas de investigação.

“Embora seja imperativo que alegações confiáveis ​​sejam tratadas de maneira oportuna e eficaz, é igualmente imperativo que o pessoal do Departamento de Justiça exerça a cautela apropriada, e mantenha o compromisso absoluto com a justiça, a neutralidade e o não partidarismo”, escreveu William Barr.

Segundo a legislação eleitoral americana, os estados têm até o dia 8 de dezembro para resolver as disputas eleitorais, incluindo recontagens e disputas judiciais sobre os resultados da eleição. Os membros eleitos do Colégio Eleitoral reúnem em 14 de dezembro para a escolha do próximo presidente dos Estados Unidos. Informações de NewMax, The Associated Press, The Hill e Direto da America


Crítica Nacional Notícias:


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE