por paulo eneas
O município de São Gonçalo (RJ) acaba de decretar nesta quinta-feira (19/11) o lockdown na cidade supostamente por conta da pandemia do vírus chinês. Segundo informa Alan Lopes em sua rede social, o decreto de lockdown determina o fechamento total das atividades comerciais, excetuando umas poucas atividades consideradas essenciais.

A decisão não surpreende. Conforme dissemos em artigo publicado em 02 de novembro, e que pode ser visto abaixo, a chamada segunda onda da pandemia do vírus chinês será na verdade a segunda onda do autoritarismo sanitário. O interregno observado nas últimas semanas foi calculado apenas para fins eleitorais. Outros municípios possivelmente começarão a adotar medidas semelhantes, e aqueles que não o fizerem, irão fazê-lo após o segundo turno das eleições.

Os prefeitos estão respaldados em suas ações autoritárias pela hedionda Lei Moro-Mandetta, a Lei do Coronavírus (Lei N° 13.979) que, ao lado da decisão do STF do início deste ano, confere poderes absolutos e ditatoriais a prefeitos e governadores, e retira do Governo Federal qualquer possibilidade de agir em âmbito nacional no enfrentamento à pandemia.

O Brasil e as demais democracias liberais do Ocidente estão sendo alvo de uma ação revolucionária perpetrada por globalistas na esteira de uma pandemia criada e espalhada pelo mundo para esta finalidade. Liberdades e direitos e garantias fundamentais, como direito ao trabalho, à liberdade de expressão e inviolabilidade do lar, estão sendo agredidos frontalmente ao longo deste ano, e existe uma grande possibilidade de esse ataque continuar.

Leia também: 
Vacinação Compulsória & Ameaça De Novos Lockdowns E Quarentenas: A Segunda Onda Do Autoritarismo Sanitário


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE