por paulo eneas
A Câmara dos Deputados da Argentina aprovou na madrugada desta quarta-feira (18/11) projeto de lei enviado pelo presidente esquerdista, Alberto Fernández, que cria um imposto extraordinário sobre grandes fortunas. Foram 133 votos a favor e 115 contra e duas abstenções, de acordo com informações divulgadas pela imprensa local. O texto seguirá agora para a análise do Senado.

O projeto de taxação de grandes fortunas é uma das propostas clássicas da esquerda revolucionária, e tem sua origem nos escritos do próprio Karl Marx, que já em meados do século dezenove propunha a adoção dessa medida como forma expropriar os chamados detentores do capital.

A imprensa argentina afirma que o governo estima arrecadar US$ 3 bilhões a mais com a nova taxação. Um projeção que pode ser irrealista, pois além da economia argentina estar em depressão, com metade da população na pobreza, o efeito de médio prazo da medida será o mesmo observado em todos os países onde esta taxação foi adotada: um desastre para a economia, resultando em desemprego e aumento da pobreza. Colaboração Camila Abdo.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE