angelica ca e paulo eneas
o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, afirmou durante entrevista semanal à Kossuth Rádió na última sexta-feira (20/11) que o bilionário globalista-esquerdista e antigo colaborador do regime nazista, George Soros, está agora ameaçando a Hungria e a Polônia por conta do posicionamento dos dois países em relação a temas da agenda globalista no âmbito da elaboração do orçamento da União Europeia.

“George Soros está ameaçando a Hungria e a Polônia. George Soros é uma das pessoas mais corruptas do mundo, ele tem muitos políticos no bolso que agora querem chantagear a Hungria e a Polônia em relação ao acessos aos recursos da União Europeia. Ele é a força corruptora por trás dos burocratas de Bruxelas que chantageiam e ameaçam a Hungria”, disse Viktor Orbán.

O premier húngaro referia-se ao lobby que George Soros está fazendo para que a União Europeia retire recursos do países membros do bloco liderados pelos conservadores, como forma de pressão para que estes países venham a submeter-se às políticas globalistas da própria União Europeia, especialmente aquelas ligadas à imigração, e que são as mesmas políticas apoiadas por George Soros.

Durante a entrevista, o premier húngaro lembrou que George Soros publicou este ano um artigo de opinião intitulado A Europa deve enfrentar a Hungria e a Polônia. O artigo foi publicado no Project Syndicate, um site amplamente financiado pela Open Society Foundation, em que dá instruções aos burocratas de Bruxelas sobre como contornar os vetos de Orbán e Kaczyński ao orçamento da União Europeia.

Os governos conservadores e nacionalistas da Hungria e da Polônia estão em confronto com o establishment da União Europeia e seus aliados globalistas após sua recente decisão de vetar o projeto de orçamento de Bruxelas.

O premier húngaro também explicou por que seu governo optou por vetar o orçamento de sete anos da União Europeia e o fundo destinado à recuperação por conta da pandemia do vírus chinês. Segundo Viktor Orbán, a execução deste item orçamentário implicava em aspectos que agrediam a soberania não apenas da Hungria e Polônia, mas de todos os estados membros da União Europeia. Informações de MTI, Budapest Times, About Hungary e Bles Mundo.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE